JAMES DEAN E JUVENTUDE TRANSVIADA

29 set

Depois de muito tempo sem postar algo que fosse interessante, resolvi abordar mais uma de minhas paixões, que é pouco alimentada também por causa da falta de tempo: Cinema. E, como todos os outros assuntos dos quais tratei aqui, o filme do qual falarei também é uma forte paixão na minha vida: Trata-se do filme Juventude Transviada (Rebel Without a Cause) – 1955. Este, para mim, relata tudo àquilo que acho ser mais emblemático nos anos 50. Não posso negar que os ícones mais conhecidos da época são Elvis Presley e Marylin Monroe, mas em minha opinião James Dean é verdadeiramente ‘o que há’!

O filme em questão – Juventude Transviada – à primeira vista, soa um tanto o quanto simplório e sem atrativos para quem o assiste nos dias de hoje. Porém, se o analisarmos com base no contexto histórico da época de seu lançamento, poderemos notar porque ele causou tanta polêmica. Afinal de contas, na década de 50 as pessoas não estavam acostumadas a ir ao cinema ver um garoto de aproximadamente 15 anos usar uma arma para matar uma pessoa, ou um grupo de jovens dispostos a roubar automóveis para disputar rachas, ou ainda acompanhar as façanhas de um protagonista politicamente incorreto que gosta de perder o seu tempo brigando e fazendo inimizades voluntariamente. Eu, que não sou das mais fãs de filmes cheios de efeitos etc., amoooooooooo!

James Dean não era bonito, isso eu devo admitir… Entretanto o cara tinha um ar obscuro e taciturno que eu simplesmente adoro. São poucos os homens que têm esse ar introspectivo e misterioso. E, acreditem, a mulherada adooooora um homem misterioso! Mas este filme não tem coisas somente ao agrado do público feminino. Os machos de plantão podem se derreter com a mocinha delicada, porém atrevidinha que a atriz Natalie Wood interpretou é bem o tipo de que muito rapaz gosta! Vejam na foto acima… Ela é uma fofa! Devo concordar! E morreu cedo também, ‘tadinha’.

Além de o ator ter esse jeitão que eu adoro, ele nos deixou muito cedo, deixando um gostinho de quero mais. É… Porque ele atuava muito bem e colocava todo seu estilo em seus papéis (todos os 7). Infelizmente, James Byron Dean morreu aos 24 anos em terrível acidente de carro. Mas se você não o conhece ou se é apaixonada como eu sou, assistam a seus filmes, pois esses são eternos!

Filmografia:

1956 – Giant (br: Assim caminha a humanidade — pt: O gigante), de George Stevens – como Jett Rink

1955 – East of Eden (br: Vidas amargas — pt: À leste do paraíso), de Elia Kazan – como Cal Trask

1955 – Rebel Without a Cause (br: Juventude transviada — pt: Fúria de viver), de Nicholas Ray – como Jim Stark

1953 – Trouble Along the Way (br: Atalhos do destino)

1952 – Has Anybody Seen My Gal? (br: Sinfonia prateada)

1951 – Fixed Bayonets (br: Baionetas caladas)

1951 – Sailor Beware (br: O marujo foi na onda)

Mais informações: IMDB – James Dean – http://www.imdb.com/name/nm0000015/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: